Quando a ansiedade faz ninho

Quando a ansiedade passa dos limites vai se instalando com tamanha intensidade que deixa de ser aquele hábil pássaro mensageiro que vem avisar dos perigos do mundo e resolve fazer ninho na cabeça e no coração. O hábil pássaro sempre dizia: “se prepara para o que há de vir”. E sempre contribuía com a preparação.Continuar lendo “Quando a ansiedade faz ninho”

Cansaço: palavra polissêmica

Físico. Emocional. Existencial. Falta de nutrientes. Distúrbio hormonal. Consequência de uma doença. Sente que a vida está passando e não tem feito nada. Desânimo difuso. Frustração. Desesperança. Choro fácil. Todo dia é a mesma coisa. Onde ficaram os sonhos? Uma correria para lá e para cá. Estresse. Sobrecarga. Estafa. É muita coisa para fazer. ChoroContinuar lendo “Cansaço: palavra polissêmica”

Eu reconheço a minha história – uma postura de autorrespeito

O termo respeito é derivado do latim respectus, que corresponde ao uso do substantivo do particípio passado do verbo respicere, cujo significado literal é “olhar para trás”, “olhar de volta”, “considerar”. Do latim re – de novo, e spicere – olhar. Neste sentido, eu acredito que cultivarmos o autorrespeito é podermos olhar com generosidade paraContinuar lendo “Eu reconheço a minha história – uma postura de autorrespeito”

Tradições Familiares

Todo domingo depois do almoço é um momento em que as mulheres da minha família se reúnem espontaneamente para fazer as unhas e conversar. Hábito que se tornou tradição e vem com afetos que preenchem com cuidado. Fazer as próprias unhas ou as unhas umas das outras é algo forte entre nós. Habilidade que euContinuar lendo “Tradições Familiares”

Restaurar Feridas

Tigelas de cerâmica. Heranças dos antepassados. Há também objetos escolhidos para compor a nossa casa, usos cotidianos. São como as nossas histórias e nossas vidas. São como as heranças recebidas dos nossos familiares, são como as relações que nos estruturaram e que nos estruturam. Nós crescemos e nos formamos, nos tornamos quem somos a partirContinuar lendo “Restaurar Feridas”

O medo de estar perdendo algo

Não é sobre o medo de estar perdendo algo, mas sobre achar que irá perder uma coisa muito boa e que vai se arrepender para o resto da vida. Primeiro é achar que vai perder, depois achar que vai se arrepender, depois imaginar os prejuízos que terá ao perder e achar que vai perder “aContinuar lendo “O medo de estar perdendo algo”

Sobre fazer o que se acredita

Será que fiz a coisa certa? Será que vou conseguir? Isto ou aquilo? Casar ou comprar uma bicicleta? Falar ou não falar? Ao contrário da música, será que me contentarei em ter aquela velha opinião formada sobre tudo ao invés de preferir ser uma metamorfose ambulante? Será que sei quem sou? Importa para mim oContinuar lendo “Sobre fazer o que se acredita”